Quem Somos

O que significa Ayni?

Ayni é uma palavra Quechua que significa cooperação e solidariedade.

Também é uma forma de viver que se manifesta em relações sociais de ajuda mútua e reciprocidade.

Como surgimos?

O Instituto Ayni: Conservação Ambiental e Desenvolvimento Social foi fundado em  28 de Novembro de 2019, como uma entidade civil sem fins lucrativos.

Foi criado com intuito de formar uma rede multidisciplinar de pesquisadores,  conservacionistas e atores da comunidade com experiência em conservação da biodiversidade, uso dos recursos naturais, ecologia, desenvolvimento e turismo sustentável, mudanças climáticas, bioeconomia, ações socioambientais, educação ambiental, comunicação científica dentre outras áreas.

Missão

Ser plataforma de referência para o Brasil e o mundo nas ações de educação e conservação ambiental e do desenvolvimento social e econômico;

Promover a ciência como a base nas ações destinadas:

  • Conservação da biodiversidade;
  • Conservação dos recursos naturais;
  • Ecologia de ecossistemas;
  • Desenvolvimento do turismo sustentável e responsável;
  • Ações da adaptação e mitigação às mudanças climáticas;
  • Desafios socioambientais;
  • Popularização da ciência:
  • Sensibilização ambiental.

Visão

Nos tornarmos uma plataforma de ações reais de conservação ambiental e desenvolvimento social no estado de Alagoas, no Brasil e no mundo e assim ser referência em soluções ambientais, disseminando a cultura, educação ambiental e as boas práticas de sustentabilidade.

Valores

▫ Solidariedade;
▫ Cooperação;
▫ Ética;
▫ Comunicação Assertiva;
▫ Empatia;
▫ Resiliência;
▫ Amor;
▫ Equidade;
▫ Transparência;
▫ Responsabilidade Social;
▫ Respeito;
▫ Humanidade;
▫ Comprometimento;
▫ Dignidade Humana;
▫ Consciência e Justiça Social;
▫ Desenvolvimento Mútuo e Sustentável;

Nosso Time

Andrey F. Alencar

Diretor Presidente

Biólogo, natural do sertão alagoano, iniciou sua carreira acadêmica na Universidade Estadual de Alagoas e concluiu sua graduação posteriormente no Centro Universitário CESMAC. É pai do Heitor e do Theo e esposo da Karlla. Sempre muito próximo à natureza, sua trajetória ambiental teve início ainda em sua infância, na cidade de Santana do Ipanema, onde sua paixão por répteis nasceu. Desde 2017, atua na área de reprodução de répteis, na qual o principal objetivo é o combate ao tráfico e maus tratos de animais. É colaborador no Laboratório do Século 21 (Lacos21) e no Projeto de Longa Duração da APA Costa dos Corais Alagoana (PELD CCAL). É sócio fundador do Instituto Ayni, onde tem um grande orgulho em poder fazer muito mais pela natureza, pelas pessoas e suas interações.

Bárbara R. Pinheiro

Diretora Executiva

Bióloga, mestre e doutora em Oceanografia pela Universidade Federal de Pernambuco. Apaixonada pelo oceano e pelos ecossistemas costeiros, vem desenvolvendo suas pesquisas em unidades de conservação na região nordeste desde a graduação. Tem um enorme amor pela Reserva Biológica do Atol das Rocas, onde estudou o impacto do aquecimento e acidificação do oceano nos organismos construtores do Atol e pela Área de Proteção Ambiental Costa dos Corais (APACC), sua segunda casa, onde desenvolveu sua pesquisa de mestrado com recrutamento e reprodução de corais e onde atua desde 2013 como voluntária, colaboradora, pesquisadora, professora e extensionista em vários projetos. Mudou-se para Alagoas no final de 2017, para coordenar as atividades de campo do PELD CCAL e integrar a equipe de pesquisadores do Lacos21. Bárbara acredita que precisamos viver e compartilhar o verdadeiro espírito do Ayni, buscando sempre a manutenção do equilíbrio do planeta.

Jessé Marques

Diretor Científico

Graduado em Agronomia pela Universidade Federal de Alagoas (2006). Mestre e Doutor em Fisiologia Vegetal (2007-2009). Tem experiência na área de Fisiologia Vegetal, Biotecnologia Vegetal e Anatomia vegetal: estrutural e quantitativa. Realizou pós-doutorado no Seed Conservation Department, Royal Botanic Gardens, Kew, Wakehurst Place, West Sussex – England, onde desenvolveu pesquisas para compreender as bases da Tolerância à Dessecação em sementes de espécies nativas. Professor e pesquisador do Centro Universitário Cesmac e atualmente Coordenador do Programa de Pós-Graduação Análise de Sistemas Ambientais – PPGASA. Pesquisador-Chefe do Laboratório de Emergética e Resiliência de Ecossistemas – LERE/CESMAC/UNICAMP. Líder do Grupo de Pesquisa: SocioEco-Economia do Nordeste. Conselheiro Municipal de Ciência, Inovação e Tecnologia. Membro colaborativo do Instituto Ayni e amante da natureza.

Sue Réginis de Carvalho

Diretora de Comunicação

Possui graduação em Administração com habilitação em Marketing e Engenharia Civil. Tem MBA em Marketing Estratégico e Mestrado Análise de Sistemas Ambientais. Desenvolve pesquisa e projetos principalmente nos seguintes temas:  gestão ambiental, estratégias empresariais, empresas sustentáveis, conservação do meio ambiente, entre outros. Atualmente trabalha com Mídia Exterior (Rota Mídia OOH) e nas horas vagas trabalha como engenheira civil. Sempre envolvida em alguma questão socioambiental, juntou-se a equipe de comunicação do Instituto Ayni com intuito de divulgar ações socioambientais, sustentabilidade, conservação e sensibilização ambiental, vislumbrando oportunidades de fazer diferente com as gerações presentes e benefícios para as gerações futuras do nosso Planeta.

Adriana S. F. C.de Barros

Diretora Administrativo- Financeira

Graduada em Administração (FAL, 2009), especialista em Gestão Escolar (SENAC, 2010), atualmente faz parte da equipe do Laboratório de Conservação do Século 21-Lacos 21, sob o convite de Ana Malhado. Associar a experiência profissional de empresa particular com a missão do Lacos 21 é bastante enriquecedora. Adriana acredita que abraçar a causa de Contribuir com a Conscientização Ambiental e Desenvolvimento Social proposta pelo Instituto Ayni, que também está fazendo parte, pode minimizar  os impactos sociais e  do meio ambiente para as futuras gerações.

No que acreditamos:

  • Na importância da ciência como base para as ações e projetos;
  • Na construção de um mundo melhor através da cooperação e solidariedade;
  • Que todos os seres humanos podem contribuir para um mundo melhor;
  • Que todos os processos são co-produzidos precisam ser co-produzidos com os envolvidos e beneficiários;
  • Somos parte integrante do cosmos;
  • Respeito à natureza, sempre;
  • Toda pequena ação pode transformar um mundo;
  • Crescemos através do conhecimento e inovação. 
Colaboradores

Neure Maira Studart

Neure é baiana, licenciada em biologia pela UCSal (Universidade Católica de Salvador), foi funcionária do Estado da Bahia como professora e trabalhou num Laboratório de Anatomia Patológica. Em Alagoas, faz parte do Laboratório de Conservação do século XXI (Lacos XXI), UFAL, como colaboradora, no intuito de estudar e trabalhar com Conservação. Apesar de não ter muita experiência na área, sempre teve a curiosidade e o gosto de saber sobre assuntos relacionados, participando de congressos e eventos. Hoje, faz parte do Instituto Ayni, como sonho de vida em ajudar o planeta, as comunidades e tudo que se relaciona.

Luana Carolina

Luana é graduada em comunicação social com habilitação em publicidade e propaganda. Em 2018 (ano em que se formou), entrou para o time do Lacos 21, com o desafio de divulgar a ciência, um universo completamente novo para ela. No Lacos teve a oportunidade de redescobrir a paixão pela comunicação, e foi por conta dele que recebeu o convite para fazer parte da equipe de comunicação do Instituto Ayni, no qual tem muito orgulho de somar a esse time! Todos juntos com um só objetivo: fazer deste mundo um lugar melhor.

Karlla Lima

Karlla é bióloga, mãe do Heitor e do Theo e esposa do Andrey. Formada pela UFAL e mestre em psicobiologia pela UFRN com ênfase em ecologia comportamental de mamíferos aquáticos. Apaixonada por biodiversidade e conservação, começou sua carreira com educação ambiental voltada ao turismo e comunidades locais na APA Costa dos corais, onde pôde perceber a conexão entre o contato com a natureza e o bem-estar humano. Em 2010 foi convidada a trabalhar no PCCB – Projeto Cetáceos da Costa Branca com análise de impacto de atividades petrolíferas no RN e em 2012 foi professora da UNEAL – Universidade Estadual de Alagoas nas áreas de ecologia e zoologia. Ao longo da jornada ganhou experiência em gestão de projetos e pessoas. Karlla é filha do mar e não consegue viver longe da praia. Atualmente está em Maceió – AL onde vive com sua família. “Acredito que nossa reconexão com a natureza é o caminho para um futuro muito mais harmônico e feliz!”

Marcos Paulo Santos Pereira

Marcos é pesquisador das ciências climáticas e ambientais que busca sempre entender os impactos das atividades humanas no sistema acoplado atmosfera-biosfera nos principais ecossistemas da América do Sul.  Sua pesquisa está focada na validação e aplicação de modelos numéricos para melhorar a compreensão das mudanças do nosso planeta e encontrar respostas para a preservação do clima, dos ecossistemas e dos recursos naturais dos quais todos dependemos. Ele é meteorologista (UFAL, 2003), com mestrado em Meteorologia agrícola (UFV,  2006) e doutorado em clima e ambiente (INPA-UEA, 2011).

Ana Claudia Mendes Malhado

Ana é ecóloga (UNESP 2000), com pós-graduação em Conservação da Biodiversidade nos Trópicos (Unesco, Sevilha, Espanha 2002) e doutorado em Ecologia de Ecossistemas (University of Oxford, Inglaterra 2008). Atualmente é professora e pesquisadora na Universidade Federal de Alagoas, pesquisadora Bolsista de produtividade do CNPq,  atuando na coordenação do Laboratório de Conservação no Século 21 (LACOS21), tendo desenvolvido pesquisa e projetos  principalmente nos seguintes temas: conservação da biodiversidade, Unidades de Conservação (UCs), Serviços Ecossistêmicos Culturais, Cienciometria, Culturomics, governança em UCs, entre outros.  Além de pesquisadora e professora, ela é também mãe de Jasmine (8 anos) e Beatrice (5 anos) e sempre buscou levar a pesquisa mais para perto da sociedade, por isso, quando surgiu a oportunidade de fundar o Instituto, ficou muito feliz com as possibilidades que estavam se abrindo para fazer a diferença no mundo real. Juntem-se a nós!

Richard James Ladle

Richard é britânico, e foi “importado” para o Brasil há 12 anos, onde nasceram seus dois tesouros Alagoanos (Jasmine e Beatrice). Richard é um cientista interdisciplinar de conservação. Possui graduação em Zoologia (Newcastle University, 1990) e doutorado em Ecologia na University of Oxford (1993). Trabalha com conservação, ecologia, compreensão pública da ciência ambiental, culturomics e desenvolvimento e turismo sustentável. É coordenador do LACOS21 e dá liderança científica no desenvolvimento das pesquisas socioambientais e de Big Data em Conservação. É pesquisador de produtividade 1d do CNPq e juntamente com a equipe do Instituto Ayni está buscando trazer recursos e oportunidades para deixar um mundo melhor para nossas crianças.

Ingrid

Ingrid é alagoana, bióloga e educadora, além disso é tutora do Zapata (um vira-lata muito lindo e esperto). Fez a graduação em Ciências Biológicas na Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e o mestrado também em Ciências Biológicas na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita (UNESP). Decidiu que seria bióloga aos 12 anos de idade quando estudava os répteis na escola. Durante a graduação e o mestrado desenvolveu trabalhos na área da Herpetologia, justamente na área que despertou a sua atenção para cursar Biologia. Foi estagiária e pesquisadora voluntária do Museu de História Natural da UFAL (MHN-UFAL) e durante esse período participou de vários trabalhos inclusive da elaboração de uma cartilha sobre animais peçonhentos. Também atuou como consultora ambiental. A decisão de também se tornar educadora veio durante a graduação quando teve a oportunidade de lecionar para turmas de crianças e adolescentes. Depois que finalizou o mestrado teve a oportunidade de trabalhar com jovens, adultos e idosos em curso de graduação e pós graduação. “Sou apaixonada pela biologia e pela educação e espero poder fazer minha parte nessas áreas. Me sinto muito grata quando vejo um ex-aluno do ensino médio cursando biologia, quando vejo meus alunos da biologia se formando, quando vejo a transformação de algumas pessoas após conversas sobre as questões ambientais. Acredito que posso fazer muito mais e tenho muito orgulho de fazer parte da equipe do Instituto Ayni”.

Ana Lúcia

Ana Lúcia é alagoana, graduada em Administração. É especialista em Administração de Empresas pela FGV e possui MBA em Gestão Estratégica de Pessoas. Por muitos anos trabalhou em empresas privadas no gerenciamento da administração financeira e gestão de pessoas. Atuou como assessora e consultora organizacional. Bem como, foi orientadora empresarial credenciada ao Sebrae-AL. Participou de projeto beneficente em prol de crianças. Sempre teve o olhar voltado para as causas humanas no tocante ao autodesenvolvimento e à promoção da empatia. Profunda admiradora do empreendedorismo, em especial o empreendedorismo social, porque acredita no poder das transformações na sociedade e no grande potencial das pessoas. No momento, feliz por fazer parte do Instituto Ayni, por sentir que é o solo para se exercitar as boas práticas em defesa da conscientização do verdadeiro sentido de “humanidade”, de forma que, se construa e se tenha de fato um mundo melhor e sustentável.