vozes do mar

Expandindo e conectando as vozes das pescadoras para enfrentar as mudanças climáticas

O Projeto VOZES DO MAR busca facilitar a conexão entre redes de mulheres envolvidas com a pesca artesanal costeira no Brasil para ampliar e fortalecer suas vozes nas discussões sobre pesca, gênero e combate à emergência climática.

Queremos entender os desafios que essas mulheres enfrentam para lidar com o preconceito de gênero e o impacto das mudanças climáticas na atividade pesqueira e trabalhar conjuntamente para construir a melhor estratégia para fortalecer e ampliar seu trabalho uma rede mais extensa e coesa em torno de objetivos comuns: combater a emergência climática e a desigualdade de gênero na pesca. 

Etapas do Projeto e como Participar

O projeto VOZES DO MAR começou a ser pensado na oficina oferecidas pela British Council e Instituto Ayni e foi um dos selecionados para ser posto em prática. Para sua execução, foram planejadas quatro etapas, que vão desde a formação da equipe e de parcerias, interação com as redes de mulheres e suas integrantes  para construir conjuntamente e desenvolver estratégias para fortalecer a interação e discutir questões de gênero e mudanças climáticas.

Se você é uma mulher envolvida com a pesca marinha artesanal, faz parte ou conhece alguma rede de mulheres envolvidas com a pesca marinha artesanal, ou tem interesse no tema e gostaria de receber notícias e colaborar com  o projeto entra em contato com a gente!  É só mandar um e-mail para vozesdomar@institutoayni.org contando um pouco do seu interesse que a gente retorna o contato. Você pode também entrar no grupo do Whatsapp que estamos mantendo para divulgar informações relacionadas ao projeto

A Conferência das Partes da ONU sobre Mudança do Clima, 2021 (COP26) tem quatro objetivos principais, dois dos quais estão alinhados com este projeto









VOZES DO MAR visa chamar a atenção para os impactos das mudanças climáticas enfrentados por mulheres envolvidas com a pesca artesanal e fomentar uma discussão que possa auxiliar as comunidades costeiras a se adaptarem às mudanças climáticas e favorecer práticas tradicionais sustentáveis que promovam habitats mais saudáveis.

Pretendemos desenvolver junto com elas estratégias para facilitar o acesso e compartilhamento de informações sobre mudanças climáticas, trabalhando de forma colaborativa para identificar soluções mais eficientes e resilientes para ajudar combater seus impactos e preparar o caminho para o co-desenvolvimento de estratégias comunitárias para o futuro.

Ao trabalhar em conjunto com as mulheres, o projeto VOZES DO MAR apoia um dos grupos mais vulneráveis aos impactos das mudanças climáticas, e busca criar um caminho para a inserção desse público em futuras discussões com o governo e academia que possam apoiar e debater soluções para desafios atuais e futuros.

Foto: Egzon Muliiqi/#oceandecade

Previous
Next

Alinhamento do Projeto com os Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável -ODS

O  projeto tem interação com vários dos ODS mas focamos especificamente em:

ODS 5 - IGUALDADE DE GÊNERO

Empoderando as mulheres envolvidas com a pesca artesanal da costa brasileira para ampliar suas vozes;

ODS 13 Ação Climática

Levantando as ameaças percebidas pelas mulheres e discutindo possíveis soluções

ODS 14 - VIDA NA ÁGUA

Chamando a atenção para a sustentabilidade dos recursos pesqueiros marinhos brasileiros e comunidades que dependem deles

Quem Somos

Sou mulher, oceanógrafa e ambientalista. Trabalho com pesquisa relacionada à gestão participativa costeira e marinha e com ações de divulgação e sensibilização sobre a importância do oceano para a sociedade. Quero que as pessoas de todo o Brasil entendam melhor, valorizem e se conectem com o nosso Oceano. Vejo o VOZES DO MAR como uma oportunidade de fomentar a implementação da Agenda 2030 e da Década do Oceano trazendo temas fundamentais para uma discussão mais abrangente e inclusiva: as questões de gênero, a visão de comunidades tradicionais, a discussão sobre como nos adaptar a um ambiente em mudança e a cooperação entre ciência e sociedade.

Sou uma cientista interdisciplinar, com experiência em ecologia marinha, mas cada vez mais trabalhando em contextos de ciências sociais marinhas. Atualmente, sou pesquisadora de pós-doutorado na Bangor University, pesquisando novos métodos para melhorar os comportamentos de biossegurança entre os velejadores recreativos. Paralelamente, trabalho com coletores de recursos costeiros no País de Gales desde 2008, primeiro como consultora de agências de conservação do governo e, posteriormente, como foco do meu doutorado. Meus interesses de pesquisa vinculam as motivações dos coletores com seu bem-estar, tanto para as necessidades básicas quanto para as dimensões experienciais de bem-estar. Acredito que entender como as pessoas dependem de suas costas é uma parte essencial do desenvolvimento de comunidades costeiras resilientes às mudanças climáticas.

Sou oceanógrafo pela Universidade Federal do Rio Grande (FURG) e venho atuando na área ambiental há mais de 14 anos. Atualmente, sou pesquisador colaborador do CEPSUL/ICMBio, onde estou envolvido em projetos de monitoramento da biodiversidade marinha e com políticas públicas ambientais, bem como ações socioambientais em Unidades de Conservação. Vejo o projeto VOZES DO MAR essencial para o aprofundamento dos meus conhecimentos com comunidades tradicionais e gestão participativa em regiões costeiras e marinhas.

Sou uma pesquisadora interdisciplinar que navega das ciências sociais às naturais e vice-versa tentando discutir e encontrar soluções para a sustentabilidade dos oceanos, com particular interesse em políticas públicas e governança no contexto das mudanças ambientais globais. Minhas áreas de pesquisa são gestão costeira, governança oceânica, políticas públicas e, mais recentemente, conflitos de gênero e meio ambiente. Atualmente, sou pós-doutoranda na Universidade de São Paulo e Professora do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia Marinha. Também faço parte de uma colaboração internacional dentro do projeto Belmont Forum, onde estou discutindo conflitos ambientais para comunidades pesqueiras. E neste projeto, estou olhando os conflitos ambientais enfrentados pelas mulheres, tentando levantar a questão de gênero dentro do campo do conflito ambiental.

Sou pesquisadora, bióloga e ativista ambiental. Atuo há dez anos com comunidades tradicionais e locais, com temas relacionados à segurança alimentar, igualdade de gênero, recuperação de áreas degradadas e Agenda 2030. Acredito que por meio da comunicação, união e o conhecimento de diversos olhares é possível buscar soluções efetivas e inclusivas para os grandes desafios do século XXI, como, por exemplo, as mudanças climáticas e desigualdade de gênero. O projeto VOZES DO MAR se propõe a auxiliar nesta comunicação e unir as mulheres pescadoras e todas que atuem com o Oceano na busca por soluções aos mais diversos desafios atuais. De forma a fortalecer e construir, de forma participativa, uma rede engajada pelas e para as pescadoras.

Sou professor no curso de engenharia hídrica na Universidade Federal de Pelotas desde 2019 e coordeno um novo grupo de pesquisa para o desenvolvimento de sensores in situ de baixo custo para monitorar mudanças em ambientes aquáticos. Com interesse na conservação e em novas tecnologias ecológicas, o objetivo do novo grupo é ajudar as comunidades costeiras a terem acesso à ciência para o uso sustentável dos recursos naturais, tornando-os atores e monitores da sua própria sustentabilidade.

Sou uma cientista com base na preservação ambiental e no ativismo. Doutorando em Ecologia e Evolução, atualmente sou pesquisadora de pós-doutorado na Universidade Federal de Alagoas, onde desenvolvo pesquisas em diversas áreas. Meus principais interesses de pesquisa incluem macroecologia e as influências das atividades humanas na biodiversidade, com ênfase em mudanças climáticas e ectotérmicos terrestres. Eu também avalio o preconceito de gênero implícito e explícito no ambiente acadêmico. Além de fazer pesquisa, também sou comunicadora e educadora científica, onde me dedico à divulgação científica para promover a conservação do meio ambiente e o empoderamento de mulheres e grupos pouco representados. Meus pronomes são ela / dela.

Caroline é graduada em Ciências Biológicas, pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), com habilitação em Gerenciamento Costeiro, mestre em Análise Ambiental Integrada pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), e doutora em Ambiente & Sociedade pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Desde 2011 atua como Fiscal Ambiental no município de Santos, o que lhe dá grande experiência com a administração pública e com as políticas ambientais costeiras. Também foi  conselheira da APA Marinha do Litoral de São Paulo e bolsista CAPES na Austrália, durante o doutorado. Seus temas de interesse são: valoração ambiental aplicada em políticas públicas, métodos de economia ecológica, valores das populações tradicionais e ecologia política.

Movida pela curiosidade sobre como a relação que as pessoas e instituições têm com o meio ambiente e entre si pode ser utilizada para promover soluções sustentáveis. Bacharel e Licenciada em Ciências Biológicas (IB-USP), fiz meu mestrado pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência Ambiental (IEE-USP) junto ao Laboratório de Manejo, Ecologia e Conservação Marinha (IO-USP) e me envolvi em diferentes iniciativas, como: Liga das Mulheres pelo Oceano, bloom ocean, Youth Climate Leaders e Instituto Costa Brasilis.

Mariana de Oliveira Estevo é graduada em Ciências Sociais pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e mestre em Diversidade Biológica e Conservação pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Durante o mestrado teve a oportunidade de trabalhar com comunidades tradicionais de ribeirinhos do rio Juruá na Amazônia e com comunidades de pescadores e marisqueiras do estado de Alagoas. Seus temas de interesse são comunidades tradicionais e locais, conservação da sociobiodiversidade, populações em áreas protegidas, gestão participativa em áreas protegidas, conhecimento ecológico local e sistemas sócioecológicos.

Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Diversidade Biológica e Conservação nos Trópicos da Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Bacharel em Teologia pela Faculdade Teológica Evangélica do Rio de Janeiro (2016). Graduando em Pedagogia Licenciatura pela Universidade Norte do Paraná (UNOPAR). Formado em Gestão Ambiental Municipal pelo Projeto TerraMar e Projeto Coral Vivo (2018). Tem experiência na área da pesca como secretário da Colônia de Pescadores Santo Amaro Z-21 e articulador nos trabalhos realizados na área de pesca dentro da APA Costa dos Corais, buscando contribuir com a conquista e consolidação dos direitos dos pescadores e das pescadoras do Município de Paripueira / Alagoas. Conselheiro suplente do Conselho do Meio Ambiente do Município de Paripueira (COMDEMA). Atualmente é membro titular do Conselho Gestor da APA Costa dos Corais – CONAPACC.

Nossos Parceiros

Rede de Mulheres na Zoologia
Liga das Mulheres pelo Oceano
Rede Kunhã Asé de Mulheres na Ciência
Reserva da Biosfera da Mata Atlântica
Laboratório de Ecologia Humana e Etnobotânica

NOTÍCIAS

Foi um mês emocionante! Após a criação de um grupo para divulgar informações sobre o VOZES DO MAR no What’s App, em agosto, o projeto vem ganhando força, chamando a atenção de pescadoras e outros projetos e veículos de comunicação em todo o país. O grupo Whats App é um ótimo lugar para ver como as conversas sobre projetos e mudanças climáticas estão se desenvolvendo.

 

 O VOZES DO MAR também iniciou um importante diálogo com o Observatório do Clima, em especial com os grupos de trabalho de Gênero e Clima e de Clima e Oceano. O GT Gênero e Clima tem produzido material educativo sobre o tema, e convidamos você a visitar o site deles para saber mais. Você pode encontrar informações sobre a reunião que tivemos com esses grupo no blog do Grupo de Trabalho de Gênero e Clima.

Enquanto isso, a equipe do VOZES DO MAR está trabalhando intensamente para discutir e finalizar um roteiro de entrevista para poder começar a interagir mais intensamente com as pescadoras e suas redes sobre suas percepções quanto aos desafios climáticos e baseados em gênero em outubro. Fique de olho nesta onda! 

A professora Leandra Gonçalves apresentou o projeto VOZES DO MAR como parte do 3º Webinar do Projeto RUMO, que discutiu ”Organizações e Lideranças: um olhar feminino sobre o ambiente costeiro marinho”. No webinar, a antropóloga Rose Mary Gerber, que pesquisou as pescadoras catarinenses e escreveu o livro “Mulheres e o Mar”, também falou sobre o empoderamento das mulheres e a importância do reconhecimento de todas as que atuam na cadeia pesqueira, independentemente de seu papel. Muitas pescadoras de vários municípios do Rio Itajaí-Açu participaram desse debate incrível!

Vale a pena conferir! Assista ao evento completo no canal de YouTube do Projeto RUMO e deixe seu comentário.

Para apoiar o nosso projeto, aceitamos doações via PIX, a chave é o nosso e-mail!

vozesdomar@institutoayni.org

Este foi um dos projetos premiados no Challenge Prize desenvolvido durante o workshop: